you tubeface
  • IPA
  • IPA

Quem Somos

O Instituto de Psicologia Analítica da Bahia foi fundado em 12 de outubro de 2009, como entidade sem fins lucrativos e um dos Institutos da Associação Junguiana do Brasil (AJB), que por sua vez é filiada à International Association for Analytical Psychology (IAAP) - cujos representantes institucionais, nos diversos países, são responsáveis pela formação de Analistas e outros pesquisadores em Psicologia Analítica, teoria psicológica criada por Carl Gustav Jung (1875-1961).

O Instituto C. G. Jung foi fundado em 1948 em Zurique, na Suíça, pelo próprio Jung, mas só em 1955 foi criada a IAAP como órgão regulador de cunho internacional, que autoriza e legitima suas instituições filiadas e seus respectivos programas de formação.

No Brasil existem apenas duas instituições filiadas à IAAP: a AJB fundada em 1991, com sede em São Paulo e mais Institutos fundados em outros sete estados brasileiros; e a SBPA - Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica, sediada em São Paulo.

Objetivos

Promover a obra de Carl Gustav Jung na Bahia, o aperfeiçoamento ético e técnico de seus membros e a pesquisa nos campos de aplicação da Psicologia Analítica - em seus aspectos clínicos, culturais e tangências interdisciplinares.

Sua Missão é formar analistas dentro de elevados padrões éticos e técnicos da prática psicoterápica.

A obra e a tradição analítica de C. G. Jung (1875-1961) são suas principais referências, permanecendo atento às novas contribuições de outras conceituações psicoterápicas, antropológicas e socioculturais ao pensamento junguiano.

A partir dessa perspectiva e do respeito incondicional à diversidade humana e cultural são fomentadas a divulgação e o enraizamento da Psicologia Analítica na Bahia.

Histórico da Psicologia Analítica no Brasil

A história do movimento junguiano no Brasil tem como figura primeira e exponencial a Dra. Nise da Silveira, principal responsável pela introdução do pensamento de Jung em nosso país.

Alagoana de nascimento e formada em medicina em 1926 aqui na Universidade Federal da Bahia, Dra. Nise foi quem primeiro estruturou um grupo de estudos junguianos em solo nacional, tendo sido a pioneira na produção de experiências clínicas baseadas nas ideias de Jung, que possibilitou aos pacientes do Hospital Psiquiátrico D. Pedro II, no Rio de Janeiro, expressarem as imagens do inconsciente através da arte. Em 1957, por ocasião do II Congresso Internacional de Psiquiatria, na Suíça, encontrou-se pessoalmente com Jung, tornando-se a primeira aluna brasileira do Instituto C. G. Jung em Zurique.

Outros pioneiros da Psicologia Analítica no Brasil são: 

- Pethö Sändor. Médico húngaro radicado no Brasil em 1949, desenvolveu uma abordagem muito peculiar de psicoterapia, associando a teoria junguiana à vivências corporais, além de introduzir o pensamento de Jung na universidade brasileira. Ensinou por muitos anos na PUC-SP e teve uma influência decisiva para que lá, se construísse um dos principais centros de formação junguiana do país.

- Leon Bonaventure, analista belga, também teve grande importância na divulgação da Psicologia Junguiana no Brasil, notadamente na tradução e na edição das Obras Completas de Jung e de diversos autores junguianos.

- Leonardo Boff, teólogo internacionalmente reconhecido, membro honorário da International Association for Analytical Psychology – IAAP e principal responsável pela tradução da obra de Carl Gustav Jung no Brasil.

Outros analistas que tiveram participação importante na construção do movimento junguiano no Brasil foram: Glauco Ulson, Carlos Byington e Walter Boechat.

A partir destes impulsos iniciais, a Psicologia Analítica estruturou-se através de muitos grupos de estudos e alguns cursos de especialização em diversas universidades do país, mas apenas em duas instituições oficiais de formação: a SBPA (1978) e a AJB (1991).

Os fundadores da AJB foram Glauco Ulson, Walter Boechat, Paula Boechat, Elizabeth Zimmermann, Carlos Salles, Priscila Caviglia e Candido Vallada. Depois de alguns anos de existência, iniciou-se o processo de desdobramento em Institutos regionais. A partir de diretrizes e objetivos comuns, os Institutos são estimulados a construírem sua própria identidade.

Em outubro de 2009, após cumprir os requisitos exigidos pelo Curso de Formação de Analistas do IJUSP, Tereza Caribé recebeu a qualificação como membro da AJB e da IAAP e a autorização para que um novo Instituto fosse fundado na Bahia. Na oportunidade, foram convidados mais analistas de São Paulo para compor sua primeira Diretoria.

O Instituto de Psicologia Analítica da Bahia (IPABAHIA) é um dos mais novos Institutos filiados à Associação Junguiana do Brasil e o primeiro do Nordeste.

Nossa marca

Nossa marca

Rosa-dos-ventos: metáfora para o processo de individuação nos mares ignotos do inconsciente; senso de direção e capacidade de registrar descobertas no ilimitado mundo da psique; importante registro para a História do Novo Mundo (ou das Índias Ocidentais), onde a Bahia ocupa um lugar de influência e centralidade.

Na época das grandes navegações no Caminho das Índias, que permitiram a inclusão do Novo Mundo ocidental, a rosa-dos-ventos traçada em pergaminho era colocada como um mostrador sobre a face da bússola. Nela, vinham marcados os pontos cardeais e as direções dos ventos.

Sua função era permitir que pudessem ser representados e localizados, com alguma precisão, rotas marítimas, linhas costeiras, desembocaduras de rios, ilhas, afloramentos rochosos, zonas de calmaria, terras desconhecidas e incidentes ocorridos durante a viagem pela vastidão incomensurável dos oceanos.

A bússola informava o Norte, ponto fixo de orientação num horizonte percebido como circular e a rosa-dos-ventos definia um campo de anotação de achados.

Escolhemos como logotipo do Instituto de Psicologia Analítica da Bahia (IPABAHIA) este raro exemplar da rosa-dos-ventos, extraído da carta náutica de Jorge Aguiar de 1492, por ser uma metáfora histórica para o processo de navegação pelos mares e marés do inconsciente.

Tereza Caribé (BA) | Presidente

Psicóloga Clínica (CRP 03/0181), Analista Junguiana formada pelo Instituto Junguiano de São Paulo (IJUSP), Membro-Didata da Associação Junguiana do Brasil (AJB), Membro-Analista da International Association for Analytical Psychology (IAAP). Fundadora e Presidente do Instituto de Psicologia Analítica da Bahia.

Angela Cosac Nacacio (SP) | Diretoria ADM-Financeira

Psicóloga Clínica (CRP 06/48099-4) desde 1984. Formada em Psicologia Clínica pela Universidade São Marcos, 1975. Analista Junguiana formada pelo Instituto Junguiano do Rio de Janeiro. Membro-Didata da Associação Junguiana do Brasil (AJB) e co-fundadora do Instituto de Psicologia Analítica da Bahia, onde é Diretora Administrativa. Membro-Analista da International Association for Analytical Psychology (IAAP).

Lia Monteiro Bogdanowicz (BA) | Diretoria de Ensino

Psicóloga (CRP 03/05605), Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP, Analista Junguiana formada pelo Instituto Junguiano de São Paulo, Membro-Analista da Associação Junguiana do Brasil (AJB) e da International Association for Analytical Psychology (IAAP). Co-fundadora, Membro-didata e Diretora de Ensino do Instituto de Psicologia Analítica da Bahia.